Olá, meu nome é Ronei e eu acredito que você vai concordar comigo quando digo: Para enfrentar a crise, cada centavo conta. Se o assunto é reduzir os gastos com energia elétrica, essa frase é mais assertiva ainda.

Por esse motivo, cresce no Brasil o número de pessoas que produzem energia própria a partir de painéis ou sistemas fotovoltaicos.

Para você ter uma ideia, vejamos os dados da Agência Nacional de Energia Elétrica:

  • Desde que a geração foi regulamentada (2012), saltou para quase 10 mil o número de usinas próprias, só no Rio Grande do Sul.
  • Destes, 99% utilizam os painéis fotovoltaicos como fonte de energia renovável.
  • Essa forma de geração é preferida por reduzir as perdas na distribuição e aliviar a rede.
  • Por isso, a energia fotovoltaica é recomendada em casas de campo ou em zonas rurais, onde a rede elétrica é deficitária.

O optante por esse tipo de geração elétrica em seu lar costuma verificar uma desconto de cerca de 90% na tarifa de luz no fim do mês. Com a vantagem de não ter que pagar taxa extra quando a conta sobe.

Depois de instalado o micro gerador, com os descontos, leva-se de 4 a 6 anos para se constatar um retorno sobre o investimento. Mas isso é apenas uma vantagem dos painéis, eles também valorizam seu imóvel, demandam manutenção mínima e são sustentáveis.

Mesmo assim, algumas pessoas ainda têm receio de instalar os painéis em suas residências. E o principal entrave para a mudança é financeiro.

Por que será?

Painéis fotovoltaicos estão ficando mais baratos.

O valor de aquisição do equipamento sempre foi um entrave para as pessoas que desejavam ter sua própria geração através da luz solar.

Todavia, com a mesma resolução da Aneel comentada acima, interessados passaram a contar com linhas de créditos especiais (oferecidas por bancos da rede pública e privada), abatimento em impostos e a redução no custo de instalação dos geradores.

Isso é possível por haver incentivos do governo para empresas comprarem as peças no interior e também pelo fato de os compradores de painéis fotovoltaicos não precisarem pagar o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados).

Reduzindo ainda mais o custo de aquisição para você.

Então quanto custa para ter um painel de energia na sua casa?

Relacionamos abaixo, o preço médio que, por utilizar peças estrangeiras, varia de acordo com a cotação do dólar.

Também vale ressaltar:

  • Demanda por energia: Ter uma casa grande, não significa que você terá que pagar mais pelo gerador solar. O que indicar a quantidade de painéis instalados é o seu consumo diário. Logo, uma casa mais econômica precisará pagar menos pela instalação.
  • Adaptação de demanda: Caso você necessite de mais geração de energia em sua residência, basta contratar a instalação de um painel extra. Simples assim. Desse modo, você pode mudar para o sistema fotovoltaico com poucos painéis e optar por aumentar mais tarde, caso sua família precise de mais geração.
  • Teste de demanda: Costumamos testar a rede em cada casa para determinar qual será a demanda ideal. Esse teste é realizado antes do contratante optar pela instalação.

Então, vamos aos preços?

Preço da Energia Solar Fotovoltaica Residencial:

  • Casa pequena, de 2 a 3 pessoas = Sistema de 1.6Kwp custa de R$ 12.700 a R$ 14.700
  • Casa média, de 3 a 4 pessoas = Sistema de 2,7Kwp custa de R$ 18.000 a R$ 20.000
  • Casa média, 4 pessoas = Sistema de 2,97Kwp custa R$ 19.300 a R$ 21.300
  • Casa grande, 4 a 5 pessoas = Sistema de 4,32Kwp custa de R$ 29.700 a R$ 31.700
  • Casa grande, 5 pessoas = Sistema de 5,4 Kwp custa de R$ 32.000 a R$ 34.000
  • Mansões, mais de 5 pessoas = Sistemas de até 10,8Kwp custam de R$ 60.000 a R$ 66.000

Existem também diversas outras ideias que posso te passar sobre como facilitar essa etapa de decisão bastante importante que é a adaptação da sua casa para um sistema de geração de energia mais econômico e sustentável.

Mas vou fazer segredo sobre essas ideias pois gostaria de saber quais são suas dúvidas em relação a instalação dos micro geradores. Eu adoraria te ajudar com sugestões.

Até mais.